top of page

GRÁVIDA QUE FAZ SEXO X GRÁVIDA QUE NÃO FAZ SEXO: QUAL DELAS VOCÊ QUER SER?

Antes de responder, confira quais são as 10 coisas que você precisa saber sobre transar durante a gestação

Estamos em 2020 e sexo e gravidez seguem sendo um tópico e, por muitas vezes, um tabu. Não dá para entender porque uma gestação que se originou de uma relação sexual transformaria esse ato completamente natural, humano e benéfico em algo “proibido”. Mulheres não deixam de ser mulheres ao engravidarem, assim como homens não deixam de ser homens ao se tornarem pais, simples assim! Confira quais são as 10 coisas que você - e seu/sua companheiro(a) - precisam saber sobre sexo durante a gestação. 

image.jfif

1 - O PÊNIS DO HOMEM NÃO TEM COMO MACHUCAR O BEBÊ NA PENETRAÇÃO DURANTE A GRAVIDEZ

Lembrando que sexo não envolve apenas penetração (carícias e preliminares são deliciosas), mas pode ficar tranquila. O bebê está protegidinho dentro do saco gestacional, que fica dentro do útero, que tem uma parede de mais ou menos 5 cm de espessura. Por mais que o parceiro tenha um pênis comprido, é impossível que ele encoste/machuque o bebê. 

bebe 1.gif

2 - A LIBIDO NÃO DIMINUI QUANDO A MULHER ESTÁ GRÁVIDA

Pelo menos, não fisiologicamente. É fato que há uma explosão de hormônios e que isso afeta cada mulher de uma forma diferente, emocionalmente falando, mas a mulher continua a ter libido e  capacidade de se excitar e ter orgasmos igual ou às vezes até mais do que antes de engravidar. Várias gestantes relatam que nunca sentiram um desejo sexual tão grande até ficarem grávidas. No segundo trimestre da gestação, então, quando há um aumento de 50% do volume do sangue corporal, que aumenta a vascularização (concentração de sangue nas veias) e deixa as terminações nervosas da vagina ainda mais sensíveis e lubrificada. Além disso, há um aumento da flora e da espessura da mucosa vaginal que facilitam a penetração.

Alguns homens podem perder o desejo por motivos variados. Se você se sente incomodada, conversem.

horny 2.gif

3 -  TRANSAR GRÁVIDA É TRANSAR EM PAZ

Afinal, não existe a menor possibilidade de engravidar quando se está grávida rs...! Portanto, não existe aquela ansiedade, tanto para as tentantes que não veem a hora de engravidar, quanto para as mulheres que não planejam engravidar e ficam sempre com aquela “pulguinha”. Lembrando que a camisinha continua sendo necessária para evitar a transmissão de DSTs que podem ocorrer normalmente durante a gestação.

giphy.gif

4 - ORGASMOS AJUDAM NA GESTAÇÃO E NO BEM-ESTAR DO BEBÊ

Sabe aquela sensação deliciosa de bem-estar e relaxamento após o orgasmo? Ela é causada pelas endorfinas liberadas pelo cérebro e, no caso de gestantes, essas mesmas endorfinas podem atravessar a placenta e causar a mesma sensação de paz e plenitude pro bebê. Gozar libera Mãe feliz, bebê feliz! Lembrando que masturbação também causa orgasmos, então não precisa esperar se a vontade bater. 

giphy.webp

5 - AS FORMAS DO CORPO DA MULHER MUDAM - E ISSO PODE SER MUITO EXCITANTE PARA AMBOS!

Não é só a barriga que cresce durante a gestação. Claro que as mudanças físicas dependem de diversos fatores, como idade, metabolismo, prática de exercícios físicos e genética, mas a tendência é que os seios aumentem e que os quadris fiquem mais curvilíneos. Enxergar essas mudanças de uma maneira positiva pode inclusive estimular a vida sexual do casal. Quando a mulher olha para o ‘novo’ corpo e se sente mais sensual e poderosa, é fato que o parceiro também se sentirá atraído, porque confiança é sexy. Existe uma tendência da sociedade a ‘santificar’ a mulher grávida, como se sentir atraído por aquele corpo fosse algo pecaminoso, errado. Mas o corpo da mulher grávida ainda é dela e ela continua sendo uma mulher que tem o direito de exercer a sua sexualidade livremente. 

giphy (1).gif

6 - MANTER O VÍNCULO SEXUAL ENTRE O CASAL DURANTE A GESTAÇÃO GARANTE UM PÓS-PARTO MAIS LEVE E TRANQUILO

Quando o casal que está prestes a se tornar pai e mãe continua sendo, antes de qualquer coisa, um casal. Isso faz bem para a saúde mental individual de cada um e também para o bem-estar da nova família que está se formando. Se houver perda de identidade e confusão de papéis em um relacionamento, há também insegurança e instabilidade. O homem que sente que a mulher ainda sente atração e carinho por ele, vai se sentir ainda mais seguro para exercer sua paternidade. Da mesma forma, a mulher que se sente desejada e amada, consegue atravessar pelas turbulências da gestação e do puerpério de maneira mais equilibrada. Os novos papéis - pai e mãe - não substituem nenhum outro. Somos seres humanos plurais e capazes de exercer vários papéis dentro das nossas famílias e micro-sociedades.

giphy (2).gif

7 - EM CASO DE GRAVIDEZ DE RISCO, LEMBRE-SE QUE SEXO NÃO É SOMENTE PENETRAÇÃO.

Sexo nunca é uma contra-indicação, salvo os casos de gravidez de risco que necessitam de repouso e/ou exercícios de intensidade baixa. Nesse caso, é importante se lembrar que sexo é muito mais do que penetração e posições sexuais, mas também envolve carícias, preliminares e brincadeiras que podem muito bem ser feitas sem exigir muito esforço. Basta usar a criatividade - e os benefícios trazidos para o casal com esses momentos íntimos com certeza diminuirão a ansiedade que toda gravidez de risco acaba gerando, além de deixar o bebê bem também, como dissemos acima. 

giphy (3).gif

8 - SE VOCÊ NÃO SENTIR VONTADE NENHUMA DE TRANSAR, RESPEITE-SE!

Se por algum motivo, você realmente não sentir vontade ou não se sentir à vontade para transar, não tem problema: respeite o seu momento, o seu corpo, as suas decisões. Se a mulher não se sente segura para transar, muitas vezes por vergonha de como o corpo está ou então medo de fazer mal para o bebê, mas acaba transando para agradar o marido, as chances de ela sentir dor e desconforto são muito grandes. Sexo começa na mente e se você não se sente bem, é melhor não forçar e tentar descobrir o que está te fazendo perder a vontade. É a hora de dialogarem sobre o assunto.

giphy (4).gif

9 - CONVERSA, SINCERIDADE E RESPEITO SÃO OS VERDADEIROS SEGREDOS PARA MANTER/RECUPERAR O TESÃO

Se a mulher ou o homem estiverem inseguros para transar durante a gestação ou se se incomodarem com a aparente falta de desejo/iniciativa do parceiro(a), isso precisa ser conversado e discutido, porque é a única que o casal tem de encontrar a melhor forma de lidar com a situação. O diálogo antes, durante e depois é fundamental para manter a leveza e o respeito. Se por acaso um dos dois, ou os dois, não se sentirem à vontade ou sentirem uma espécie de barreira neste diálogo, não devem hesitar em recorrer à ajuda profissional neste momento. Procurar apoio psicológico durante a gestação deveria ser encarado de uma forma tão natural quanto procurar um obstetra. Frequentar terapias de casal ou grupos destinados a casais, deveria ser tão normal quanto fazer o ultrassom para ver como o bebê está. Você precisa cuidar da sua saúde mental sempre e mais ainda em momentos de grandes mudanças. 

giphy (5).gif

10 - TRANSAR NA RETA FINAL DA GESTAÇÃO E ATÉ MESMO DURANTE O TRABALHO DE PARTO É UM IMPORTANTE ALIADO DO PARTO NORMAL

Transar é um ótimo exercício para preparar o assoalho pélvico para o parto normal. Além disso, fazer sexo e/ou se masturbar durante o trabalho de parto relaxa e também estimula a produção de ocitocina, o hormônio responsável pelas contrações uterinas que vão ‘empurrando’ o bebê durante o parto normal.

giphy (6).gif

QUER MAIS INFORMAÇÕES/RECEBER NOVIDADES SOBRE GESTAÇÃO, PARTO E PÓS-PARTO?

Obrigado! Em breve entraremos em contato!

bottom of page