top of page

A IMPORTÂNCIA DO ALEITAMENTO MATERNO E O QUE FAZER SE O BEBÊ NÃO QUISER MAMAR

Um guia prático para te ajudar na amamentação

Breastfeeding_a_baby.jpg

Tem algumas coisinhas que você precisa saber para se preparar melhor para quando chegar a hora de amamentar o seu neném. 
 

DESROMANTIZE A AMAMENTAÇÃO

Assim como é preciso encarar gestação e maternidade do jeito mais realista possível, também é preciso quebrar alguns castelos quando o assunto é amamentação. Embora realmente seja uma imagem muito bonita de se ver, amamentar nem sempre é mil maravilhas, especialmente no começo. Entenda que você vai aprender a amamentar tanto quanto o bebê vai aprender a mamar e sabemos que todo aprendizado tem ônus e bônus. Há a possibilidade de ser mais difícil do que você pensa e saber disso pode deixá-la mais preparada e menos frustrada.

 

MAS TAMBÉM NÃO A TRANSFORME NO BICHO PAPÃO

O contrário também não ajuda, o segredo é o equilíbrio. Ficar morrendo de medo de não ter leite, de não acertar, do bebê não conseguir fazer a pega, do seu filho ficar desnutrido, não adianta absolutamente nada. Pelo contrário, a ansiedade diminui os níveis de ocitocina e libera cortisol, e isso reduz a produção de leite. Se não conseguir de primeira, tente a segunda. Não deu, tente a terceira e por aí vai...

DÊ O PEITO PARA O BEBÊ NO PRIMEIRO MINUTO DE VIDA


Assim que ele nascer e for entregue para você, ofereça o peito. Pele com pele, deixe que ele tente sugar, ainda que não consiga. O colostro, que é uma substância que antecede a descida do leite, é rico em nutrientes para o bebê e, por ser mais grosso, vai preparando o bico do seio para se adequar àquela boquinha faminta.

 

LIVRE DEMANDA, SEM OLHAR O RELÓGIO


Não existe esse conceito retrógrado de dar de mamar de três em três horas e deixar o bebê gritando de fome. Esse intervalo é para bebê que não mama e precisa de controle para ser nutrido. O bebê que mama deve ser alimentado em livre demanda, ou seja, sempre que sentir fome. A relação do indivíduo com a fome vai sendo estabelecida desde o primeiro dia de vida, quando sua fome é suprida, ele se sente protegido, saciado e grato por quem o amamenta, ainda que não tenha consciência do que é a gratidão.

AMAMENTAÇÃO EXCLUSIVA ATÉ OS 6 MESES


Isso quer dizer que durante o primeiro semestre de vida do seu filho você não deve dar nada para ele que não seja o seu leite. Nem água? NADA!  O leite materno alimenta, hidrata e protege o bebê. Não existe vacina mais poderosa do que a que você mesma é capaz de produzir para o seu filho. São recomendações da OMS, do Ministério da Saúde e todos os órgãos responsáveis.

O PEITO É SEU, MAS A REDE DE APOIO TAMBÉM!

 

Ter a consciência de que você é apenas uma mulher aprendendo a enfrentar os desafios da maternidade como tantas outras, sem se cobrar, sem idealizar e sem se sentir culpada, vai te ajudar muito nesse processo. Peça ajuda. Na hora de amamentar, o seu parceiro, a sua mãe, irmã ou amiga, podem te ajudar com as almofadas, a colocar o sling, a preparar o ambiente, etc. Peça ajuda!
 

SE VOCÊ ESTIVER COM DIFICULDADES OU SE O BEBÊ NÃO QUISER MAMAR, RECORRA AOS PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS

As enfermeiras obstetras, enfermeiras de amamentação e até mesmo nutricionistas materno-infantil podem te orientar quanto à melhor pega, melhor posição, fazer massagem, aplicar laserterapia nas fissuras, etc. Você precisa estar bem, acima de tudo, para alimentar o seu bebê. Não conseguir sozinha não tem nada a ver com ser ou não uma boa mãe, pelo contrário. Acreditar na ciência e na medicina são valores que você com certeza vai querer passar para o seu filho.

 

NÃO SINTA VERGONHA

Quando você sente fome, se esconde para comer? Então, nunca, jamais, sinta vergonha de amamentar o seu bebê, independente de onde e com quem estiver. Se alguém te causar algum tipo de constrangimento, denuncie.

APRENDA A ORDENHAR E, EM CASO DE EXCESSO DE LEITE, DOE!

Muitas vezes o bebê não vai dar conta de tomar todo o leite que você produzir, então aprenda a ordenhá-lo e armazená-lo. Novamente, uma enfermeira de amamentação ou enfermeira obstetra/obstetriz poderá te orientar. Toda cidade possui um banco de leite que está sempre necessitando de novas doações. O seu leite pode salvar vidas! 

 

CONTINUE AMAMENTANDO DEPOIS DOS 6 MESES

A recomendação da OMS é de continuar a amamentação complementar junto à introdução alimentar até os 2 anos de idade. Nem sempre isso será possível por conta da rotina da mãe e bebê, mas se possível, tente até pelo menos 1 ano. Caso você possa e queira amamentar além dos 2 anos de idade, não tem problema algum.

QUER MAIS INFORMAÇÕES/RECEBER NOVIDADES SOBRE GESTAÇÃO, PARTO E PÓS-PARTO?

Obrigado! Em breve entraremos em contato!

bottom of page